CIDADE   DOS   ANJOS

(City os Angels, EUA - 1998)

    Atores: Nicolas Cage, Meg Ryan, Andre Braugher, Dennis Franz, Colm Feore, Robin Bartlett, Joanna Merlin

    Direção: Brad Silberling

 

 

    

 

      

    Romance é a temática principal deste filme, mas há alguns aspectos que podem ser considerados pelo lado espiritual.

     A estória do filme se passa em Los Angeles e nos mostra anjos por todos os lados, cuidando das pessoas, auxiliando-as a enfrentar as situações do dia-a-dia. Um desses anjos, Seth (Cage) acompanha a médica Maggie Rice(Ryan) e se apaixona por ela, a partir deste fato ele começa a viver o dilema de continuar a ser anjo ou então assumir seu amor por Maggie e abrir mão de sua condição de anjo e consequentemente de sua imortalidade.

     O filme nos lembra a atuação dos nossos mentores que nos acompanham sempree como nos diz o Livro dos Espíritos tem o papel de "um pai para com seus filhos: conduzir seu protegido ao bom caminho, ajudá-lo com seus conselhos, consolá-lo em suas aflições, sustentar sua coragem nas provas da vida."

     Refilmagem do filme Asas do Desejo de 1987, este filme apesar de muito festejado pelo público é fraco e possui um roteiro limitado. O romance é embalado por uma trilha sonora agradável mas quem procura um conteúdo mais denso vai se decepcionar.

     A questão da tarefa dos anjos não é abordada com a devida importância e em alguns momentos mais parece uma obrigação do que uma oportunidade de trabalhar pelo bem.

     Desnecessário dizer que a opção por abrir mão da imortalidade e da condição de anjo é ficcional e só tem o papel de fortalecer o clima de romance.

     A Tarefa de anjo protetor, bom gênio, mentor ou qualquer nome que se queira usar é das mais belas e é para este espírito uma oportunidade maravilhosa e por ter consciência disso não abriria mão dela por um interesse pessoal.

     Apesar dessas observações o filme é uma opção leve de diversão e para os mais sentimentais pode render algumas lágrimas, mas não se pode levar em consideração a abordagem que se faz sobre a atuação dos anjos, a não ser a de que eles existem e que cuidam de nós com imenso carinho e dedicação e de que nós à medida que nos melhoramos, perseverando na nossa reforma moral também chegaremos a condição de anjos.