O  GRITO

(The Grudge, EUA - 2004)

     Atores: Sarah Michelle Gellar, Jason Behr, William Mapother, Clea DuVall, KaDee Strickland, Grace Zabriskie, Bill Pullman, Rosa Blasi, Ted Raimi, Ryo Ishibashi, Yoko Maki, Yuya Ozeki, Takako Fuji,Hiroshi Matsunaga, Hajime Okayama

     Direção: Takashi Shimizu

 

 

    

 

    A palavra japonesa “Ju-On” é o nome dado (no Japão) ao espírito de alguém que quando encarnado morreu com uma imensa raiva e, vingativo, lançou uma maldição no lugar onde morreu para que todos que entrem em contato com este lugar também venham a morrer. Baseado nesta idéia o diretor Takashi Shimizu escreveu o roteiro do filme “Ju-On”, que fez um enorme sucesso e que agora foi refilmado, também sob sua direção, com o título de “O Grito”.

     O filme não segue uma seqüência linear, o que dá um charme a narrativa e compõe o clima de mistério da trama.

     O Grito narra a estória da estudante de serviço social Karen Davis (Gellar), que juntamente com o namorado vai para o Japão fazer um intercâmbio, lá ao substituir uma colega que não foi trabalhar, Karen entra na casa amaldiçoada e a partir daí começa a ser vítima da perseguição espiritual enquanto luta desesperadamente para descobrir o mistério da casa e para sobreviver.

     Durante a trama o grande destaque é a obsessão dura e cruel, mas há também uma cena muito boa onde temos o fenômeno da ideoplastia, onde Karen vê todos os fatos que deram origem a maldição.

     Como é comum nos filmes do gênero, os exageros acontecem em grande quantidade, sempre com o objetivo de assustar, mas o filme não chega nem perto de ser apavorante. O enredo é interessante, mas talvez pela diferença cultural entre o Japão e o ocidente, não funciona muito bem, sendo em alguns momentos até infantil. É fácil fazer uma associação com o filme “O Chamado”, embora não seja essa a intenção.

     Para quem gosta do gênero pode ser uma boa opção, mas sem grandes expectativas. Entretanto vale a reflexão sobre os efeitos negativos do ódio, da vingança e dos sentimentos negativos, pois embora não possam não ser semelhantes aos do filme, com certeza causam muitos prejuízos, principalmente para aquele que os alimenta.