RUMO  CERTO

Há séculos, longas viagens eram feitas em grandes caravelas em rotas marítimas especificadas pela Capitania dos Portos de Portugal, a mando do reinado XIII. Nessas longas viagens íamos em busca de novos horizontes, novas terras a desbravar para trazer à coroa os frutos de nossas descobertas.
Éramos muitos e saíamos por meses a fio sem saber o que iríamos encontrar e se voltaríamos a terra firme.
Todos éramos homens bravios em busca de um futuro melhor para nossa pátria e para nossos entes queridos.
Trabalhávamos dia e noite sob sol ou chuva, porém lá estávamos, unidos, com fé em Jesus para encontrarmos algo que nem mesmo sabíamos onde procurar.
Foi numa dessas viagens que tivemos um grande ensinamento.
Num certo dia, a chuva se fazia forte e o mar bravio, a tal ponto que nossa caravela quase virou e perdemos muitas caixas com provisões de comida e água – que já eram escassas. Chegou a noite bravia e o mar revolto nos tirou completamente da rota traçada. Perdidos estávamos e fomos levados por uma forte correnteza que nos deixou à deriva por dias seguidos.
Tomados de muito medo, buscamos o consolo na fé coletiva, e rezamos orações do fundo de nossa alma, até que um dia avistamos uma grande ilha. A ansiedade e a alegria eram imensas e quando lá chegamos nos abraçamos e agradecemos ao Nosso Deus; a felicidade se estampou novamente em nossos corações, que transbordavam de emoção.
Nessa nova ilha conhecemos índios e uma nova civilização; terras novas; fauna e flora enriquecidas.
Uma grande e nova rota teve início daquele dia em diante, até nossa terra natal, onde se estabeleceu o intercâmbio e o comércio entre nós.
Meses depois, chegamos novamente em Portugal, e ali, seguros e agradecidos, ficou esculpida em nossa alma a seguinte lição: a rota de nossas vidas é e sempre será dirigida e traçada por Deus; é ele quem sabe qual é o melhor rumo a seguir, e sabe qual é o momento e a maneira certa para nos orientar.
Ficai com Jesus e que Deus nos guie sempre para o melhor caminho.


MANOEL  BANDEIRA  CUNHA
( 1º  Imediato da Coroa de Lisboa )


Nota:
• No reinado do século XIII , Lisboa tornou-se capital de Portugal; o Rei Don Dinis ( 1279-1325 ), foi um dos que mais investiu para as viagens marítimas além-mar em busca de novas rotas marítimas e descobertas de riquezas em terras desconhecidas.
• 1º. Imediato = Patente de 1-. em comando; abaixo do chefe.