Nos “Exilados” o autor pressupõe a existência de uma civilização muito desenvolvida, moral e intelectualmente, que habita um planeta em órbita de Capela, estrela da constelação do Cocheiro.
     Um grupo de capelinos não teria correspondido à evolução moral dessa civilização e seus espíritos teriam sido banidos para o planeta Terra há cerca de 5.000 anos, dando início à jornada civilizacional humana por meio de sucessivas encarnações. Devido ao alto grau de conhecimentos que possuíam, se destacaram na matemática, astronomia, arquitetura, agricultura e navegação, deixando obras como as pirâmides do Egito, os jardins suspensos da Babilônia e as edificações maias e astecas, entre outras.